Nasa lançará robô para estudar solo de Marte em 2018

robo-para-2018

O lançamento para Marte do robô americano InSight, inicialmente previsto para março deste ano, foi remarcado para 5 de maio de 2018, de acordo com divulgação da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) feita nesta quarta-feira (9).

O adiamento, que foi anunciado em dezembro, foi devido a um problema em um instrumento de medição sísmica fornecido pelo Centro Nacional de Estudos Espaciais da França (CNES), que é fundamental para essa missão.

Esta falha técnica e sua reparação forçaram a agência espacial norte-americana a esperar que se abra outra janela de lançamento mais favorável.

Se o lançamento ocorrer em 5 de maio de 2018, o robô chegará a Marte em 26 de Novembro do mesmo ano.

“A compreensão do subsolo de Marte é um objetivo de planetólogos há muitas décadas e estamos muito felizes por estar de volta no caminho certo para lançar esta missão, agora em 2018”, afirmou John Grunsfeld, chefe de programas científicos da Nasa.

A InSight (Interior Exploration using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport) é a primeira missão dedicada a estudar o subsolo de Marte. Deve durar dois anos.

A missão vai avançar a compreensão dos processos de formação de todos os planetas rochosos, incluindo a Terra e sua evolução.

O objetivo será determinar se o núcleo do planeta vermelho é sólido ou líquido e por que sua superfície não é composta por placas tectônicas em movimento como a Terra.

Os responsáveis pelo projeto apresentaram recentemente à Nasa e ao CNES um novo projeto do instrumento científico que permitirá que o lançamento seja feito em maio de 2018.

O Jet Propulsion Laboratory (JPL) da Nasa em Pasadena, Califórnia (oeste), estará encarregado de construir a nova esfera totalmente selada que irá garantir o vácuo necessário para o sismógrafo de alta sensibilidade do CNES.

A agência francesa disse em dezembro que não podia garantir que a esfera seria hermética.

Os principais sensores do sismógrafo marciano principal devem ser colocado em uma câmara vazia, para que possam capturar movimentos mais sutis do solo.

O custo adicional para este atraso de dois anos está em estudo e o orçamento deve estar pronto em agosto, de acordo com a Nasa. Até agora, o custo total foi estimado em 675 milhões de dólares, dos quais 525 já foram gastos.

Conteúdo UOL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s