Justiça de São Paulo envia à competência do juiz federal Sérgio Moro pedido de prisão preventiva de Lula

Lula ira para a prisao

 

Conforme informações no site da revista VEJA a Justiça de São Paulo enviou ao juiz federal Sérgio Moro o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a denúncia contra o petista por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica no caso do triplex do Guarujá (SP). Agora caberá ao juiz federal Sérgio Moro decidir se aceita a competência e acatar ou não o pedido de prisão e acusação formal.

O pedido de prisão preventiva refere-se a uma investigação feita pelo Ministério Público Federal de São Paulo sobre o tríplex do Guarujá, reformado pela construtora OAS para Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Como o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, devolveu ao juiz federal Sergio Moro as investigações da Operação Acarajé, que tem como alvos João Santana e Mônica Moura, e da Operação Xepa, que revelou a existência de departamento da propina na Odebrecht.

A Operação Acarajé também reuniu elementos suficientes para que  Moro possa decretar a prisão de Lula.

Em relatório de análise, divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo, delegado da Operação Acarajé revelou suspeita que Odebrecht ‘arcou com os custos de construção do Instituto Lula e/ou de outras propriedades pertencentes a Luiz Inácio Lula da Silva’

A Polícia Federal aponta para ‘possível envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em práticas criminosas’. Em relatório de 44 páginas anexado ao inquérito da Operação Acarajé – 23.ª etapa da Lava Jato -, em que complementa pedido de buscas o delegado Filipe Hille Pace analisa a anotação ‘Prédio (IL)’ encontrada em celular do empresário Marcelo Odebrecht ao lado de valor superior a R$ 12 milhões.

“Em relação à anotação “Prédio (IL)” a Equipe de Análise consignou ser possível que tal rubrica faça referência ao Instituto Lula. Caso a rubrica “Prédio (IL)” refira-se ao Instituto Lula, a conclusão de maior plausibilidade seria a de que o Grupo Odebrecht arcou com os custos de construção da sede da referida entidade e/ou de outras propriedades pertencentes a Luiz Inácio Lula da Silva.”

Desta forma os autos foram enviados pela juíza Maria Priscilla Oliveira, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, ao juiz federal na última quinta-feira, após ela negar recurso contra a decisão na qual declinou da competência para o juiz que centraliza a Operação Lava Jato, proferida há um mês. A juíza entendeu que os crimes são de âmbito federal e podem estar relacionados com o esquema de corrupção exposto pela Operação Lava Jato.

O juiz Sérgio Moro não tem um prazo para negar ou conceder o pedido de prisão preventiva de Lula. A investigação contra o ex-presidente ocorre sob o crivo do STF (Supremo Tribunal Federal), por causa de citações a parlamentares e ministros com foro privilegiado. No entanto, Lula permanece sem essa prerrogativa após suspensão de sua nomeação para o Ministério da Casa Civil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s